Não são só memórias. São fantasmas, que me sopram nos ouvidos coisas que eu...

29
Ago 09

Não existe um mundo do crime e um mundo de paz. Fazemos todos parte de uma única nação. Todos que praticam um crime têm um motivo. Todos que fumam maconha, crack, têm um motivo. Todos que sorriem, tem um motivo. Às vezes você vê uma pessoa no ônibus, e diz “Ih, essa é revoltada”.

Você nem sabe os motivos dela. Não sabe o que a espera quando chegar em casa. Mal sabe se ela tem uma casa.

Alguém um dia me ensinou que o sorriso está na sua capacidade de provocá-lo. Se não sorrir, raramente alguém sorrirá pra você. Acha que se todos sorrissem uns para os outros, ainda haveria um “mundo do crime”? Que se todos se cumprimentassem, fizessem gentilezas uns aos outros, teriam motivos para se xingarem pelas costas?

Um mundo melhor depende única e inteiramente de cada um de nós, de como tratamos o cobrador do ônibus, ou o rapaz que passa pra recolher o lixo. Não existe essa coisa de “Eu sou melhor; sou superior”. Quem se sente melhor que o outro, acaba se tornando menor. Quem deixa de sorrir por não poder pagar uma mochila cara pro filho, mostra o tamanho que é.

É uma escolha de cada um. Eu escolhi viver em um mundo de paz. E você, qual prefere? 

publicado por Helen às 01:27

23
Ago 09

Depois de 60 anos, eu finalmente saíra da prisão. Não nego que não era o melhor lugar do mundo pra tirar umas 'férias', mas não era de todo ruim; não depois que se mora lá a todas essas décadas.

Era estranho andar pelas ruas. Ninguém mais se comprimentava, estavam todos ocupados demais, com pressa. Automóveis ocupavam o lugar que antes eram de cavalos. Perdera-se toda a magia.

Arrumei um emprego em um supermercado, e um quarto em uma pensão para ficar. Mas eu já estava velho, minhas mão doiam a cada lata colocada nas sacolas.

(3ª pessoa)

Brooks não aguentara mais viver na nova monotonia da cidade. Chegara a pensar varias vezes em cometer outro crime, e voltar pra penitenciaria, onte tudo tinha sentido. Mas já estava velho demais pra cometer um absurdo desses. Foi pensando assim, que, Brooks pegou um canivete e subiu sobre a mesa com uma corda e o mesmo. Talhou na velha parede da pensão "Brooks was here.", amarrou firme a corda, e derrubou a mesa.

Brooks Harper tinha 92 anos quando faleceu, mas um coração de um adolescente. havia ido pra prisão por roubar uma jóia, pra poder dar o que comer aos dois filhos de apenas 3 anos, que acabaram morrendo em um tiroteio três anos depois do pai ter sido preso.

Era um bom homem. Um homem que não via motivos pra permanescer em uma cidadânia cuja as pessoas nem sorriem mais. Mas é sempre bom lembrar, que Brooks esteve aqui.

 

Desculpem pela demora em voltar a postar. mas, travou. Fazer o que. q

XOXO'S Camila.

publicado por Helen às 06:11
sinto-me: Cansada super.
música: Hanging by a Moment - Lifehouse

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28

30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO